Social Icons

Google+ Followers

Características de um pregador "pop star"

Características de um pregador "pop star"
           A bíblia fornece o padrão de uma pregação pautada na vontade de Deus. É triste e revoltante perceber como os pregadores da atualidade tem se desviado desse padrão, tornaram-se mercadores de mensagens, oradores com poder de persuasão, especialistas em técnicas para prender a atenção do ouvinte sem se preocupar em transformá-lo.

             A primeira característica de um pregador "pop star": eles falam com o mesmo tom de voz, é incrível! falam como se estivessem cantando e sempre terminam as frases com um leve ronco. Depois de 10 minutos de mensagem começam os apelos emocionais, com gritos no final das frases de efeito. E você tem que glorificar, porque a frase produz uma comoção coletiva, você glorifica mecanicamente e se você resistir você fica constrangido, pois todo mundo glorificou, menos você. Frases de efeito bastante utilizadas: "pentecostal é igual a vendedor de feira só fala gritando" "o melhor de Deus está por vir" "Não sei o que você está passando, mas se eu fosse você começava a glorificar"  "eu sou crente canela de fogo" "olhe pro seu irmão e diga...". Esses tipos de frase "esquenta" o clima e induz psicologicamente o ouvinte a se agitar. Essas frases não contribuem em nada para ensinar o crente, só para emocioná-lo.

             Os pregadores "pop star" adoram falar no diabo e no inferno. "dê um glória a Deus pra o diabo morrer de raiva" "diga para o diabo que ele já perdeu" "pisa na cabeça do diabo" "dê um grito para estremecer o inferno". Que o Diabo já perdeu é verdade, mas quanto a usar palavras relacionadas ao diabo olha o que a bíblia diz: "Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a
respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: o Senhor te repreenda"(Jd 1.9). Nem o arcanjo Miguel proferiu palavras de maldição contra o diabo quanto mais um mero homem.

                Os pregadores "pop star" interpretam os textos bíblicos além do significado que o autor procurou transmitir para provocar uma comoção. Por exemplo: Na história de Abraão e Isaque eles acrescentam pormenores que não estão na bíblia para provocar uma comoção coletiva "Abraão olha para o seu filho e não vê Isaque, vê Jesus, nosso substituto crucificado na cruz olhando para você".

Na história de Davi e Golias: "Davi pega algumas pedras no rio e começa a analisá-las para ver qual a melhor para matar o gigante, ele percebe que dentre elas tem uma em forma de uma fogueira, é essa mesma o fogo do espírito santo vai derrotar o gigante na sua vida, assim como Davi derrotou golias com uma pedra em forma de fogo". Na história de José: "José foi vendido por seus irmãos, mas eu imagino que quando ele estava no carro que o levava para longe de Israel, ele olha para atrás e se vê não em uma carruagem de escravos indo, mas em uma carruagem de rei voltando para o seu lar, eu profetizo que um dia você vai voltar em uma carruagem de rei". Daniel e seus três amigos na fornalha: "Daniel e seus amigos foram jogados na fornalha de fogo, ora se crente gosta é de fogo, eles olham para os seus carrascos e dizem: manda mais, manda mais!" Aí eu pergunto que contribuição espiritual essa mensagem produz, a não ser manipular psicologicamente a igreja?
  
                 A mensagem dos pregadores "pop star" tem uma particularidade: ninguém lembra dela
depois do culto e todo mundo diz que o culto foi uma benção e a unção de Deus foi derramada. Como é que alguém vai assimilar se não dá tempo! a gente tem que ficar lutando com o cérebro, enquanto a gente tenta entender o que foi dito, temos que nos apressar para raciocinar o que é dito em seguida. Nem um gênio com um cérebro superdesenvolvido vai conseguir guardar o que foi dito. Eu imagino uma pessoa idosa tentando entender a mensagem deles. Eu acredito que é unânime a opinião de que uma pregação falada pausadamente com um intervalo de tempo para ser assimilada produz mais instrução e tem melhor resultado espiritual do que a pregação de um pregador "metralhadora". E não existe diferenças de estilo em quem ensina e quem prega, a única diferença é que o ensinador tem mais interação com os seus alunos, os alunos tem oportunidade de participar, porém tanto quem ensina como quem prega deve procurar instruir os seus ouvintes ou quem prega é para ficar só contando bobagens e induzindo o povo a se emocionar?

                  Não estou dizendo com isso que não devam ser empregados nenhum tipo de recurso para pregar. A postura corporal, o tom de voz, a maneira que o pregador se dirige a igreja são importantes. Porém, esses recursos devem unicamente ser utilizados para que a palavra de Deus seja dita de forma instrutiva e que transforme o ouvinte e não para manipulá-lo. Estevão demonstra um tipo de um pregador bíblico, em Atos 7 ele começa a falar diante do sumo sacerdote e dá um "show" de bíblia,
ele narra a história de Israel e explica as consequências teológicas de cada acontecimento e a sua mensagem não entrou por um ouvido e saiu pelo outro, tanto que quem não gostou se enfureceu e apedrejou Estevão.
Pedro, na pregação onde três mil almas se converteram, pregou como Estevão, citou passagens da bíblia e explicou o que elas representavam para o povo de Israel e para a igreja. Hoje são raros os pregadores, mas animadores de platéia tem muitos.


               O púlpito não é lugar de exibição, não é um lugar para o pregador exibir uma performance. Mas infelizmente é o que acontece, tudo é uma performance, as palavras utilizadas, o tom de voz, a maneira como anda pelo púlpito, a maneira como bate as mãos no púlpito e grita, tudo é uma performance. As pessoas aceitam a Jesus, são batizadas com o espírito santo, a unção cai, mas eu pergunto essas pessoas foram salvas mesmo? esses crentes que foram batizados vão mudar o seu caráter? acredito que não, isso só acontece quando o espírito santo usa o pregador, não quando o pregador usa o espírito santo.

0 comments:

Postar um comentário