Social Icons

Google+ Followers

A existência de Deus.



















A EXISTÊNCIA E O SER DE DEUS.

a)         A existência de Deus.

Uma primeira coisa a ser notada é que a Bíblia não se preocupa em tentar provar que Deus existe. A Bíblia já pressupõe que uma pessoa de sã consciência, não negará a existência do Ser criador, e que a criação é um testemunho incontestável dEle (Gn. 1:1; Sl. 19: 1-2; 14:1; Rm. 1: 18-20).

a.1) As provas tradicionais da existência de Deus.

 Durante a história algumas pessoas se viram compelidas a desenvolver argumentos racionais para explicar a existência de Deus, fazendo frente aos incrédulos. Os argumentos mais conhecidos são:
 

         Argumento Ontológico – Este argumento diz que o ser humano tem a idéia de um ser absolutamente perfeito, e que a existência é uma característica essencial da perfeição, ou seja, um ser para ser perfeito tem que existir. E esse ser perfeito seria Deus.

         Argumento Cosmológico – Declara este argumento que tudo o que existe no mundo tem uma causa, sendo assim, também o universo inteiro (o cosmos) deve ter uma causa, e uma causa infinitamente grande, portanto essa causa seria Deus.

         Argumento Teleológico  – Este argumento afirma que todo o universo uma ordem, uma inteligência, uma harmonia e um desígnio / objetivo. Isto mostraria então a existência de um ser inteligente que planejou tudo isto que os nossos olhos contemplam, portanto, Deus.


         Argumento Moral – Diz este argumento que o reconhecimento pelo ser humano de um bem supremo, e sua busca do ideal moral exige e necessita da existência de um Deus que converta esse ideal em realidade.

         Argumento Histórico – Este argumento diz que em todas as tribos e povos do mundo se encontra um sentimento do divino, uma forma de culto, e isto deve pertencer a natureza própria do homem. E se a natureza humana tem essa inclinação para a adoração religiosa, isto só se explica com a existência de um ser superior que deu ao ser humano uma natureza religiosa.

 



b)   O SER (a natureza) de Deus.

“Deus, o Soberano Proprietário do Universo, é espírito, eterno, infinito e imutável em sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade e verdade”.

 É claro que não se pretende aqui dissecar a natureza divina, isso seria impossível, apenas vamos dar uma olhada em como a Bíblia revela um pouco da natureza da Divindade, sem querer ser exaustivo.
         Deus é Infinito (Ex. 3: 14-15; Sl. 90:2).  Ele é um ser absoluto. Não provém, nem é condicionado por coisa alguma. É a causa de tudo, e é livre de qualquer fronteira / limitação.

         Deus é espírito (Jo. 4:24). Por ser um espírito Ele não é um ser corpóreo, material. Deus não possui as propriedades da matéria , porque um espírito não tem estas propriedades (Lc. 24: 37-39) e, portanto, jamais pode ser discernido pelos sentidos físicos (Jo. 1:18). Por esta causa, é expressamente proibido na Bíblia, fazer imagens e representações de Deus (Êx. 20: 4; Rm. 1:23-25).
 

         Deus é Pessoal   (Jo. 1:18; 10:30; 1Jo. 4:8). Isto significa que Deus tem mente, vontade, é inteligente, possui razão, autoconsciência, individualidade, autodeterminação. Por isso, erra todo movimento que confunde Deus com uma força, uma energia, um poder, ou coisas semelhantes. 

         Deus é puro / santo (Lv. 11:44; Is. 6:1-3; 1Jo. 1:5-6). Isto significa que Ele é essencialmente (na sua natureza) puro, não existe mal em seu ser. Ele é completamente Santo (Sl. 77: 13).

0 comments:

Postar um comentário